terça-feira, 30 de janeiro de 2018

JARDIM ALEGRE - Delegado fala da prisão de suspeitos de crime brutal

             EXCLUSIVO - ENTREVISTA                
Delegado Dr. Gustavo Dante, falou da prisão, em Mandaguari, dos  acusados de matar jovem com requintes de crueldade em Jardim Alegre e jogar o corpo no Rio Ivaí, em Lidianópolis. A avó da vítima, também falou a reportagem
Ouça matéria completa no link acima 


Foto da vítima 
No link de vídeo, ouça entrevista com o Delegado Dr. Gustavo Dante, que prendeu, juntamente com sua equipe, em Mandaguari, dois rapazes acusados de um crime brutal, em Jardim Alegre, e que chocou toda região. A apresentação dos autores, ocorreu na noite de segunda-feira, dia 29 de janeiro. Entre os detidos estão: Maurício de Oliveira, o conhecido "Mauricéia", de 34 anos, e Eudner Dutra Santos, o Dinei, de 19 anos.  Dante afirmou que após denúncia apontando que um Chevrolet Ômega branco, foi visto jogando o corpo na Ponte do Rio Ivaí, no Porto Ubá, em Lidianópolis, foram intensificadas as buscas e diligências que levaram os investigadores até os autores. Com base nas provas que foram juntadas, a Juíza da Comarca de Ivaiporã, Dra Adriana Marques, expediu os mandados de prisão temporária, com parecer favorável do Ministério Público. Os acusados foram encontrados em uma casa, na cidade de Mandaguari, onde o carro estava estacionado nas proximidades, sendo que no momento em que o imóvel foi invadido, Maurício foi preso e "Dinei"  pulou um muro e tentou fugir correndo, mas foi alcançado e também detido. Ambos foram trazidos para Ivaiporã.   "Maurício disse que tinha conhecimento do crime, porque foi praticado por seu companheiro, o Dinei, mas negou que ele tenha participado diretamente deste assassinato. Não acreditamos totalmente em sua versão e estamos reunindo elementos que vão confirmar ou desmentir estas afirmações. Já Dinei, afirmou que realmente amarrou o menor, mas que não o agrediu. Disse ainda que na ponte do Porto Ubá, sua intenção não era o jogar do local, e que foi um fato acidental, informação totalmente descabida que vamos provar contrário", disse o Delegado  Dante, ao repórter Ronaldo Senes, o "Berimbau".  No depoimento, Eudner, alega que o menor estava com uma faca e que ele, o acusado, agiu em legítima defesa, confirmando parte da brutalidade, mas omitindo várias informações.  Na mesma entrevista, a avó do menor assassinado, também falou a reportagem. Ela disse que o neto era usuário de droga e a família sabia que ele comprava maconha de Maurício, mas não conseguia o convencer a deixar o vício.  Ela também ventilou a participação de outras duas pessoas, fato que o delegado praticamente descarta.  Dante ainda revelou que a dupla presa é acusado de furtar objetos em um Sítio, no Bairro dos Baianos. No local, uma casa foi arrombada e vários objetos levados e escondidos em uma residência no perímetro urbano, quando também foram furtados por um indivíduo conhecido como "Delão" - clique aqui, para rever matéria deste furto. Ao final da entrevista, Gustavo Dante, fez questão de agradecer a imprensa e cada membro de sua equipe.  Para saber mais detalhes, ouça o link de vídeo.  LOCALIZAÇÃO DO CORPO - Como divulgamos, foi encontrado, no sábado, dia 27 de janeiro, pela Patrulha Ambiental do Porto Ubá (Grupo de Pescadores), Bombeiros de Ivaiporã e o Delegado Dr. Gustavo Dante, o corpo do jovem Udson Evandro Leal Magri, de 15 anos, que estava desaparecido de Jardim Alegre. Segundo o Eduardo Souza, o "Mula", integrante da Patrulha, que falou ao repórter Ronaldo Senes, o "Berimbau", o menor foi localizado no local conhecido como "Fervedor", cerca de 15 quilômetros abaixo da Ponte do Porto Ubá. "Ele estava com mãos e pés amarrados com arrame; com a cabeça toda feriada e várias perfurações pelo corpo", disse Eduardo Souza. DESAPARECIMENTO - Conforme o Blog do Berimbau informou, o adolescente Udson Evandro Leal Magri, de 15 anos, morador de Jardim Alegre, Rua Pio XII, natural de Ivaiporã, era filho de Claudinei Medina Magri e Lucinéia Leal Magri. Familiares procuraram a Polícia Civil, após o seu desaparecimento misterioso. Segundo sua mãe, que falou com o repórter Berimbau, o filho saiu com shorts tactel verde claro e com faixa branca na parte traseira e também usava uma camiseta salmão, boné preto, chinelo verde e sem dizer onde estava indo. Na sexta-feira, dia 26 de janeiro, dois dias após o sumiço, chegaram informações que foi visto um carro branco, sobre a ponte do Rio Ivaí, no Porto Ubá, em Lidianópolis, jogando algo na água, que poderia ser um corpo. As suspeitas levaram as autoridades a fazer buscas no Rio, sendo que a vítima foi localizada.





Nenhum comentário:

Postar um comentário