segunda-feira, 26 de fevereiro de 2018

JULGAMENTO DE RIBAS CARLI

O Fantástico da Rede Globo, também destacou o caso de  Carli Filho, que  vai a júri popular nove anos após acidente com dois mortos
Na matéria, o telejornal destacou que o ex-deputado estadual, do Paraná,  é acusado de duplo homicídio com dolo eventual, quando assume risco de matar. Julgamento foi marcado pela terceira vez.  Era 7 de maio de 2009; naquela madrugada, dona Vera perdeu o filho caçula em um acidente de trânsito em um cruzamento de Curitiba. Quase nove anos depois, o motorista acusado pelas mortes vai a júri popular. O réu é Luiz Fernando Ribas Carli Filho, herdeiro de uma influente família da política paranaense, e, na época do acidente, tinha 25 anos e era deputado estadual.  A perícia concluiu que Carli Filho estava a uma velocidade entre 161 e 173 km/h. O carro em que ele estava decolou e caiu sobre outro, que tinha acabado de entrar na avenida. Nele, estavam Carlos Murilo, de 19 anos, e Gilmar Rafael Yared, de 26. Os dois morreram na hora.  Carli Filho ficou internado durante quase um mês em São Paulo por causa de ferimentos graves na cabeça. Depois, renunciou ao mandato. Ele estava com a carteira de motorista suspensa, com 130 pontos e 30 multas, a maioria por excesso de velocidade. No único depoimento que deu à Justiça, em 2010, ele assumiu que bebeu antes de dirigir.  Carli Filho é acusado de duplo homicídio com dolo eventual, quando assume o risco de matar. Essa é a terceira vez que o julgamento é marcado. Durante quase 9 anos, a defesa do ex-deputado tentou, com 33 recursos, evitar que Carli Filho fosse a júri popular. Todos foram negados.  Depois de oito anos calada, dona Vera falou ao Fantástico sobre o caso - Veja 

Nenhum comentário:

Postar um comentário