05/02/2021

APUCARANA - Levantamento indica 45% a mais de casos de violência doméstica

   Apucarana é uma das sete cidades do Paraná a contar com instalações públicas e profissionais exclusivas para atender mulheres em situação de violência doméstica. O resultado do trabalho, na esfera pública, do combate à violência, acaba de ser mostrado em uma pesquisa realizada pelo 10º Batalhão da Polícia Militar (BPM). O 10°BPM divulgou fechou os dados comparativos do número de atendimento de situações relacionadas com o crime de lesão corporal – violência doméstica entre 2019 e 2020, constatando um número 45% maior no ano passado. O Major Vilson Laurentino da Silva acredita que o aumento no número de atendimentos se deva à maior divulgação sobre os direitos das mulheres, ao incentivo de buscar ajuda especializada e ao encorajamento que as mulheres vêm tendo para denunciar o agressor. Para a secretária da Mulher, Denise Canesin, as ferramentas de combate à violência doméstica oferecidas pelo poder público municipal, em parceria com a PM, fazem toda diferença. “O sucesso de nosso trabalho não seria possível sem o apoio incondicional da Prefeitura e do prefeito Júnior da Femac, que é muito sensível à causa da violência contra a mulher. A parceria com a PM confere maior segurança às mulheres que, além de ser atendidas emergencialmente, serão acompanhadas pela equipe do CAM.” Em 2020, o 10ºBPM fez campanhas em parceria com a secretaria Municipal da Mulher e do CAM – Centro de Atendimento à Mulher. Os resultados apontados pelo levantamento mostram que as mulheres procuraram mais ajuda para sair da situação de violência doméstica. 10° BPM: 2019 – 537 Chamadas recebidas; 2020 – 781 Chamadas recebidas: aumento de 45%; 2019 – 300 casos consumados; 2020 – 357 casos consumados: aumento de 19%; Centro de Atendimento à Mulher: 2019 – 237 casos e 2020; e 362 casos: aumento de 52,74%. Especializados - Cerca de oito novos casos são atendidos no CAM por semana, isto é, mulheres atendidas pela primeira vez no serviço – afora os casos em acompanhamento pelo Centro. O suporte, tanto no momento da violência doméstica (PM) quanto no pós-atendimento (CAM), estão cada vez mais especializados. No ano passado, por exemplo, o 10°BPM criou o POP – Procedimento Operacional Padrão – uma padronização do atendimento policial militar às mulheres, que fornece auxílio e acolhimento e já é um referencial no atendimento à mulher em situação de violência doméstica em todo o Estado. O CAM, por sua vez, oferece atendimento individual e sigiloso, inteiramente gratuito, realizado por equipe interdisciplinar exclusiva, composta pelas áreas do direito, psicologia e serviço social. Serviço O CAM fica aberto de segunda à sexta-feira das 8h às 17h, (Rua Castro Alves, n° 1629 – Jardim América) e atende pelos telefones (43) 3422-4479 ou 0800 645 4479. Denúncias devem ser feitas através do 190.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEIA ANTES DE COMENTAR!
- Os comentários são moderados.
- Só comente se for relacionado ao conteúdo do artigo acima.
- Comentários anônimos serão excluidos.
- Não coloque links de outros artigos ou sites.
- Os comentários não são de responsabilidade do autor da página.

Para sugestões, use o formulário de contato.
Obrigado pela compreensão.

ROLAGEM INFINITA