21/02/2021

ORTIGUEIRA: A cidade já liberou mais de 9 milhões de Aedes estéreis

Reunião da Forrest Brasil Tecnologia com a SMS avaliou a queda de 34% no índice de nascimento de mosquitos em Ortigueira
           Ortigueira liberou 9,2 milhões de mosquitos Aedes aegypti estéreis na zona urbana e na zona rural do município desde novembro do ano passado. Os dados foram anunciados na manhã desta sexta-feira (19) pela Forrest Brasil Tecnologia, empresa parceira da Prefeitura de Ortigueira e da Klabin no projeto Controle Natural de Vetores, que visa o combate à dengue. Segundo Jorge Pedrosa, consultor da Forrest, houve redução de cerca de 34% no índice de nascimento de mosquitos. “Quando começamos o projeto, Ortigueira tinha uma taxa de 89% de eclosão de mosquitos. Após as solturas dos Aedes estéreis, reduzimos para 54,7%. É um resultado muito bom e já esperado para esse projeto”, avalia. Liberados de duas a três vezes por semana no município, os machos do Aedes aegypti não picam, não transmitem doença e não se alimentam de sangue, portanto não oferecem riscos às pessoas. Ao serem soltos, sem prejuízos ao meio ambiente, eles procuram as fêmeas para se reproduzir. Os ovos que surgirem, porém, não terão novos mosquitos, e evitam o nascimento do Aedes aegypti que poderá transmitir doenças como dengue, zika vírus, chikungunya e febre amarela. A ajuda da população, segundo Pedrosa, é essencial para o sucesso do projeto. “É preciso receber os agentes comunitários de endemias em casa para que os criadouros de mosquitos sejam eliminados.” “Nessa batalha contra o mosquito, nada melhor do que lutarmos de uma forma natural e segura. Acredito muito na força desse projeto, que já apresenta resultados positivos em poucos meses. Vamos lutar com cuidado, união e tecnologia”, diz a secretária municipal de Saúde, Claudia Marcondes. Em 2021, a SMS não registrou nenhum caso confirmado de dengue. Histórico de sucesso - A soltura dos mosquitos estéreis foi aplicada como projeto piloto em Jacarezinho (PR) e e teve redução de mais de 90% na população de Aedes aegypti. A aplicação ocorreu entre setembro de 2018 e abril de 2019. No momento, a Secretaria Estadual de Saúde do Paraná avalia o resultado para desenvolver o projeto em mais cidades do Estado. Disque dúvidas - Um número telefônico foi disponibilizado pela Forrest para tirar dúvidas sobre o projeto e receber sugestões: (42) 98889-9093.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEIA ANTES DE COMENTAR!
- Os comentários são moderados.
- Só comente se for relacionado ao conteúdo do artigo acima.
- Comentários anônimos serão excluidos.
- Não coloque links de outros artigos ou sites.
- Os comentários não são de responsabilidade do autor da página.

Para sugestões, use o formulário de contato.
Obrigado pela compreensão.

ROLAGEM INFINITA