quarta-feira, 27 de junho de 2018

LAVA JATO - José Dirceu acusado de corrupção saiu da prisão

             O ex-ministro da Casa Civil do governo Lula, José Dirceu, condenado a 30 anos e nove meses de prisão pela Operação Lava Jato, saiu da prisão na madrugada desta quarta-feira (27 de junho, de 2018).  Mesmo condenado em segunda instância por corrupção ativa, lavagem de dinheiro e organização criminosa, Dirceu foi beneficiado por uma liminar expedida, nesta terça (26), pela Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal.   Com a decisão, o ex-ministro vai poder aguardar em liberdade o julgamento de recursos no Superior Tribunal de Justiça, sem tornozeleira eletrônica e sem nenhuma restrição de movimentação, ou seja, ele não está impedido de sair do país, por exemplo.  A decisão de libertar José Dirceu foi do ministro do STF e integrante da Segunda Turma da Corte, Dias Toffoli. Os ministros Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowski acompanharam Toffoli e também votaram a favor da libertação do ex-ministro petista.  O único que votou pela permanência de Dirceu na cadeia foi o ministro Edson Fachin, relator dos processos da Operação Lava Jato no STF.  Na mesma sessão da Segunda Turma do STF, os ministros também suspenderam ação penal contra o deputado estadual Fernando Capez, do PSDB paulista, acusado de desviar mais de um milhão de reais destinado para a merenda escolar em São Paulo.  Além disso, a Segunda Turma do STF deveria julgar pedido de liberdade do ex-presidente Lula. No entanto, o relator do processo, ministro Edson Fachin, determinou que o recurso impetrado pela defesa de Lula fosse apreciado no plenário da corte por todos os ministros do STF.  O julgamento do recurso que pode livrar Lula da cadeia deve entrar na pauta do plenário do STF em agosto, após o recesso do Judiciário.   

Um comentário:

  1. Mais q mal exemplo esse STF dá para o BRSIL,cambusada de gente a toa mesmo..

    ResponderExcluir